SEGUIDORES

sexta-feira, 25 de março de 2011

ROCK IN RIO VISTO POR UM FILÓSOFO *****

 Rafael Fernando Hack, é doutorando em filosofia, e nos dá sua opinião, sobre essa farsa, que disfarça,e usa o Rock 'N' Roll como fachada:
O Rock and Roll é o mais subversivo movimento cultural que já existiu na história da humanidade.
Sua expressão é atemporal, independe de modismos e, mais do que isso, rompe com os modismos socialmente impostos. O Rock and Roll – e, evidentemente suas variantes -, é a mais fina flor da contracultura. Aí que se coloca a questão: como pseudo-artistas midiáticos que evidentemente compactuam com esses valores pequeno-burgueses podem se enquadrar no “Rock”?
O Rock embalou a juventude dos anos 60 promovendo uma revolução dos costumes, isto é, quebrando com a hipocrisia imperialista norte-americana. Além disso, algumas de suas variantes questionaram diretamente as autoridades estabelecidas, como o punk rock no Reino Unido. Rock é atitude, inconformismo, ruptura.
Axé, pagode e sertanejo possuem uma outra classificação (algumas pessoas insistem em chamar isso de música) estas pérolas da cultura deveriam ficar confinadas em seus redutos!