SEGUIDORES

sábado, 10 de setembro de 2011

AS GRAVAÇÕES PERDIDAS DE RORY GALLAGHER EM SÃO FRANCISCO


Um sobrinho curioso, revirando o espólio do tio famoso morto. Um irmão zeloso e de bom gosto, e extremamente entusiasmado com o material encontrado. O resultado é “Notes from San Francisco”, o novo trabalho de Rory Gallagher que chega ao mercado.


Guitarrista irlandês proflífico e extremamente virtuoso, Gallagher integrou o trio Taste antes de embarcar em uma fantástica carreira solo que durou até 1995, quando morreu em consequência de um malsucedido transplante de fígado.
“Notes from San Francisco” é um CD duplo de qualidade excepcional. Reúne material de uma sessão de gravação de Gallagher ocorrida em 1977 na cidade da costa oeste dos Estados Unidos. O material deveria se tornar o o álbum que seria lançado no ano seguinte, mas as gravações foram abandonadas.
Segundo declarações do próprio músico no início dos anos 90, ele não tinha ficado satisfeito com as composições  e menos ainda com as gravações e mixagem das músicas. Sem entrar em detalhes, revelou a uma revista inglesa que houve “muitas complicações” na hora de editar e mixar o material devido a “erros na captação de vários sons”.
Encontradas por Daniel Gallagher, sobrinho de Rory, as gravações foram retrabalhadas sob supervisão de Donál Gallagher, pai de Daniel, irmão de Rory e curador do legado musical do músico.
Quem ouve o primeiro CD, dedicado a essas gravações, fica espantado com a alta qualidade do material. É evidente que o tratamento de mixagem e masterização a que as músicas foram submetidas mas, seja como for, é incompreensível que Rory Gallagher tenha ficado insatisfeito com as composições ou até mesmo com a performance de sua banda ao gravar. O material é excelente.
Já o segundo disco traz uma apresentação ao vivo na mesma San Francisco em dezembro de 1979, na boa casa noturna The Old Waldorf. O qualidade do show é impecável, no mesmo nível habitual, excelente, de suas apresentações. O destaque vai para a sequência final matadora: “Calling Card”, ”Shadow Play”, ”Bullfrog Blues ” e ”Sea Cruise”.
A questão é que, ao que tudo indica, Rory Gallagher tinha razão em abandonar as gravações de San Francisco. Sua genialidade produziu no final de 1978 “Photo-Finish”, lançado em 1979 e que rivaliza , na opinião dos fãs, com “Blueprint” (1973) e “Against the Grain” (1975)  como o melhor da carreira do músico.
Rory Gallagher quase integrou os Roling Stones. A lenda diz que ele foi convidado a substituir Mick Taylor nos Rolling Stones na virada de 1974 para 1975. Keith Richards, o mestre das seis cordas da banda, estava irado com o que chamou de petulância de Taylor ao tentar “ensinar” aos outros membros como tocar.
Após a saída pouco amigável do colega, afirmou a uma revista inglesa que a banda tinha convidado Gallagher. Posteriormente, desmentiu e disse que os empresários dos Stones apenas fizeram uma sondagem. O irlandês nunca gostou de tocar no assunto. Sempre afirmou que foi apenas sondado, mas em