SEGUIDORES

sábado, 9 de julho de 2011

MÚSICA & MEIO AMBIENTE..POR CARLA VIANA


Creio que todos temos observado a preocupação com o meio ambiente retratados através de vários meios de expressão, incluindo a música.
Fico extremamente feliz e preocupada ao mesmo tempo.
Tenho visto muitos artistas passarem suas mensagens, em uma tentativa nobre de expandir a conscientização sobre a importância da preservação do planeta, sustentabilidade, etc.
Tenho também visto artistas que usam esse argumento para se promoverem somente, o que não torna o seu trabalho realmente verdadeiro em sua essência. Aliás, palavra que gosto muito.
Um artista que tenho acompanhado e considero como um verdadeiro divulgador é o cantor e compositor Jack Johnson. Ele não está dentro do estilo do Rock and Roll, mas na minha opinião, tem sido o mais verdadeiro nesse tão polêmico tema, e no final das contas, o que é um estilo de música diferente quando se trata de um assunto global? 
                                              
Jack Johnson leva uma vida simples e faz muitos shows, e o que me deixou realmente feliz foi quando soube que 100% de seu cachê é investido na Fundação Kokua (Kokua Hawaii Foundation), que é uma verdadeira escola, cujo objetivo além das matérias da grade, é incluir educação ambiental dentro da escola e nas comunidades. Além disso, ele também promove o Kokua Festival, que traz artistas de vários lugares, com ênfase em várias vertentes da arte em si, com o objetivo de divulgar os cuidados que devemos ter com o meio ambiente através da linguagem artística. O Kokua ainda cuida da saúde das crianças, evitando males como obesidade e doenças diversas através da agricultura natural, presentes na grade curricular da fundação. Daí vem a pergunta: Mas o Jack Johson não ganha dinheiro? Sim, ele ganha e muito através de sua gravadora, a Brushfire Records, que no início foi fundada por ele para divulgar seu próprio trabalho e hoje conta com um casting variado de artistas com o mesmo objetivo.
A preocupação com este tema na minha opinião, deve ser constante. Nós somos os facilitadores de alguma forma para que possa chegar a informação à vários lugares, não levando em conta a proporção de sua fama. Cada um pode fazer uma pequena parte, seja em uma composição, em um show, em um desenho significativo dentro do teu trabalho, etc. O que não devemos é menosprezar o poder de comunicação que temos, por mais simples que seja. Fica aqui a minha dica. Os sites para conhecerem melhor a Fundação e a gravadora são:

Grande abraço e Let's Rock!
Carla Viana