SEGUIDORES

quinta-feira, 17 de março de 2011

Pâmela Leony - Jornalista ***** - O papel feminino na sociedade

   Como estamos num ano feminino... Ano em que mostra que, a mulher vem conquistando cada vez mais seu espaço, em lugares que nunca tinha sido visto uma mulher, ou seja, o papel feminino na sociedade em relações ao poder demonstra a importância da experiência e do saber. Este, remodelado pelo pensamento feminista, como o de representante social, vive um lapso de tempo ate ser incorporado aos estudos culturais. Portanto, a experiência vivida, e reconhecendo o que é adequado para a sociedade e aos grupos sociais, sabendo a forma de conhecer e lidar com o poder na sociedade – em que vários grupos têm visões diversas de um mesmo objeto – deixando assim, a diferença de lado.
Vendo isso pelo lado feminista, ampara a perspectiva subjetivista, baseada na experiência em que as mulheres conheceriam de forma diferente a dos homens devido à sua condição social. Ao proclamar a experiência das mulheres como características de uma cultura específica, torna-a uma modalidade de saber local e o estudo feminista em uma antropologia da cultura moderna. Essa experiência teve mais força, quando a sociedade elegeu uma mulher como representante da sociedade Brasileira, e é baseado na confiança do papel feminino que se tem dado o valor de querer uma mudança.
O feminismo coloca-se como crítica da modernidade, onde surgem novas ferramentas conceituais para analisar a realidade por novos olhares, promovidos das lutas dos movimentos sociais. Na realidade, o desafio foi ver o papel das mulheres nos meios massivos, e o debate se deu em torno da temática do trabalho doméstico. Essa relação busca questionar os significados de masculinidades e feminilidades, ajuda construir um olhar mais aberto em meio das diferentes possibilidades e multiplicidades entre seres humanos, e sobre o significado de ser um homem e ser uma mulher em nossa cultura.
            A partir dessa reflexão, analisando a letra da música de Zélia Duncan – Pagu (Compositora: Rita Lee), observa-se que o papel da mulher na sociedade, pode-se visualizar não apenas as experiências femininas, mas seu universo em relações com o mundo masculino, numa proposta bastante enriquecedora e inovadora. A interpretação da letra demonstra as maneiras de se falar femininamente das experiências cotidianas, da história, rompendo com as antigas oposições.
 As palavras que constam na letra da música têm uma ordem a partir do cotidiano da vida e da luta das mulheres e que o retrata, seja em uma denúncia do machismo ou nas alternativas encontradas pelas mulheres para a construção de um mundo igual. O ritmo da música ajuda a gerar concentração, unidade e força nos momentos de ação coletiva, é uma forma direta de ação política, de levar o feminismo para os olhares e ouvidos da rua, expressando as lutas e ocupando o seu espaço público.
Nota do Blog: Pâmela é jornalista em Curitiba* 
Bem vinda   ! *****