SEGUIDORES

quarta-feira, 18 de abril de 2012

PSIQUÉ DO ROCK POR NATHY PFÜTZE



Fazer um link entre Psicologia e Rock é no mínimo um desafio inusitado! Psyque (em grego: Ψυχή, Psychē) é uma personagem da mitologia grega, personificação da alma.Seu mito é narrado no livro “O Asno de Ouro de Apuleio”. Por isso Psicologia é o Estudo da Alma e aqui a falarei da Alma do Rock e do quanto nossas Almas precisam de Música e por que não de Rock!!! Afinal, além de Psicóloga há quase 7 anos, sou Roqueira há 32 anos...



    Vocês sabiam que médicos podem passar a receitar músicas em vez de remédios? É isso mesmo! Segundo uma nova pesquisa da Universidade Caleidonian de Glasgow, as emoções que a música desperta podem ser usadas para tratar dores físicas e depressão. O projeto, que reuniu engenharia de áudio e psicologia musical, procurou analisar de que forma a música nos ajuda quando estamos passando por momentos difíceis na vida. Segundo os pesquisadores, os resultados mostraram que isso é mais complicado do que assumir que a música rápida nos deixa mais felizes enquanto a música lenta faz com que fiquemos tristes. Primeiro é importante saber que as letras das músicas, e não apenas o ritmo, influenciam o nosso humor. Outro fator importante apontado pelos cientistas é o que você associa com a música (se você estava se sentindo bem quando a ouviu pela primeira vez, por exemplo). Durante a pesquisa, voluntários ouviram várias músicas de diferentes estilos que nunca haviam escutado antes. Depois eles indicavam que sentimento a música passava. O resultado mostrou que as músicas associadas com sentimentos positivos têm uma batida regular, timbre claro e constante.O próximo passo da projeto é criar um modelo matemático que “traduza” a habilidade das músicas de transmitir emoções e convertê-lo em um programa de computador que analise as necessidades de cada indivíduo e componha uma música especial para ele, podendo substituir antidepressivos e remédios para a dor física.

     

    Mas o Rock é diferente dos outros estilos mesmo!!!!! E não sou eu quem está dizendo, até macaco curte. Duvida??? Então escuta essa!!! A Revista Veja divulgou uma reportagem em 2009 que dizia o seguinte: Macacos gostam do Metallica! Um estudo americano constatou que macacos também podem ser metaleiros. Em uma pesquisa publicada na revista Biology Letters, da Royal Society Journal, saguis-cabeça-de-algodão foram submetidos a uma série de músicas, desde clássica até jazz. De todas elas, as únicas que conseguiram acalmar os bichanos foram as da banda Metallica.
    O experimento foi conduzido pelo psicólogo Charles Snowdown, da Universidade de Wisconsin-Madison, e pelo músico David Teie, que toca violoncelo na Orquestra Sinfônica Nacional. Para o estudo, os pesquisadores fizeram os saguis escutarem músicas de Bach, Led Zeppelin, Miles Davis, entre outros. A conclusão é que macacos interpretam os sons de uma maneira diferente dos humanos. "Estranhamente, a única resposta que tiveram a diversas amostras de músicas foi uma resposta calma à banda de heavy-metal Metallica", disse Snowdown à publicação, segundo reportagem do jornal Daily Telegraph. O psicólogo explica que a fala das pessoas não expressa necessariamente o estado emocional delas. "Quando acrescendo elementos extras, muda o tom da voz, o ritmo, a altura ou velocidade, é onde está o conteúdo emocional". Ele deu o exemplo de bebês humanos, que também são capazes de interpretar diferentes tons e alturas de voz. "Aprovação tem um tom crescente e tranquilização tem um tom decrescente. Adicionamos atributos musicais ao discurso para influenciar o estado afetivo de um bebê", afirma. "A voz, o padrão de entonação, a musicalidade, podem ser mais importantes do que palavras".