SEGUIDORES

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Spinal Tap, Brincadeira com Fundo de Verdade


   
E se juntássemos todas as estórias bizarras que acontecem nos bastidores das bandas de Rock reais e as filmássemos com uma banda fictícia, simulando um documentário sério, será que os Rockers ficariam ofendidos ?

Esse deve ter sido o questionamento feito pelo diretor/ator/produtor Rob Reiner na reunião com os produtores, tentando convence-los a realizar "This is Spinal Tap" (no Brasil, recebeu o nome de "Spinal Tap, o Ocaso de uma Lenda"), um dos mais hilários filmes sobre o universo do Rock.

Lançado em 1984, simula um documentário, acompanhando a trajetória da banda Hard-Heavy, "Spinal Tap", entrevistando seus membros e mostrando bastidores de shows, gravações, viagens e compromissos sociais da banda.

A quantidade de casos engraçados é tão grande, que se torna inevitável pensarmos que não foram meras criações de gags humorísticas, mas casos retratados de diversas bandas reais, em situações bizarras, constrangedoras, ridículas...

O núcleo principal da banda gira em torno dos guitarristas David St. Hubbins e Nigel Tufnel (interpretados pelos atores Michael McKean e Christopher Guest) e o baixista, Derek Smalls (interpretado pelo ator, Harry Shearer).

Os três atores sabiam tocar e cantar, portanto, as cenas ao vivo, apesar de hilárias, tem esse caráter fidedigno no tocante à maneira de empunhar e digitar guitarras e baixo.

As piadas são inúmeras. Não contarei todas para não estragar a surpresa de quem nunca assistiu, contudo, cito algumas :

1) O guitarrista Nigel Tufnel vai fazer um solo triunfal e vai envergando suas costas, fazendo uma tremenda pose de Rock Star..., mas se desequilibra e não consegue voltar ! Desesperado, pede ajuda aos roadies que não entendem o que ele quer, no meio daquela zoeira ensurdecedora...

2) Vão tocar numa grande arena e o camarim é tão longe e labiríntico, que simplesmente não acham o caminho para o palco !

3) O divulgador da gravadora marca uma tarde de autógrafos na mais badalada loja de discos de uma cidade americana. Só esquece de divulgar o evento...ficam horas dentro da loja vazia, com canetas à mão.

4) Numa época de vacas magras, o empresário marca um show num clube frequentado por pessoas da terceira idade. Logo na primeira música, causam constrangimento pelo teor da letra, com fortes citações sexuais.

5) Numa ruptura, a banda perde o guitarrista Nigel e o baixista resolve mudar o direcionamento artístico do repertório, anunciando que agora farão um som experimental ao invés do Hard-Heavy dos discos anteriores. Tocam diante de um minguado público o seu novo e completamente esquisito som. Um fã fica o show inteiro com o polegar virado para baixo em sinal de protesto.

6) Resolvem fazer um cenário hollywoodiano, com as pedras de Stonehenge no palco. Só que o encomendam para o cenógrafo, numa escala reduzida. Quando o cenário desce com a banda já em ação, tem o tamanho de um tabuleiro de xadrez ! Para salvar a situação (salvar ??), contratam anões vestidos de druídas, para dançar em volta da mini Stonehenge...

E acreditem, tem muito mais, assistam que vale a pena.

Piada em cima da piada, alguns críticos nem perceberam que era uma comédia e cairam de pau, criticando-o como se fosse um documentário de uma banda real !! Um determinado crítico chegou a escrever : "Contratem um cinegrafista decente para retratar a banda, pelo amor de Deus !"

O tecladista da primeira formação do "Yes", Tony Kaye, chegou a fazer teste para ser tecladista do "Spinal Tap" no filme. Ele só não ficou, pois recebeu o convite para fazer parte da formação da volta do "Yes", nos anos oitenta. Confidencialmente revelou que o convite o salvou do "mico".

Muitos Rockers que o assistiram, acharam graça e revelaram ter passado por situações semelhantes na vida real. Entre eles, Robert Plant, Ozzy Osbourne e Dee Snider, que confessaram terem se perdido em caminhos escuros para chegar ao palco.

Outros, no entanto, ficaram atônitos e declaradamente disseram não ter gostado da gozação. Eddie Van Halen por exemplo, não deu uma risada durante a exibição e ao final, disse que se via ali naquelas situações.

O mesmo ocorreu com Steven Tyler, que segundo o guitarrista Brad Whitford, ficou deprimido no cinema e só disse lacônicamente que aquilo não tinha graça alguma.

Diversão garantida, "This is Spinal Tap" é uma grande brincadeira com o Rock. Acredito que todas as situações ali retratadas são reais. Qual músico não tem um caso desses para contar ?

Eu mesmo tenho vários, como por exemplo na banda em que tocava nos anos oitenta, durante um show em São Caetano do Sul/SP , em um ginásio com 2000 pessoas na platéia, errei uma marcação de palco onde sabia que ocorreria uma explosão de pólvora que enfatizava um momento de uma música. Me distraí por um segundo e fiquei perto...

Só me lembro da cara desesperada do baterista da minha banda, olhando-me com o fogo chamuscando minha longa cabeleira...

Consegui apagar rápido, a música nem parou e só me lembro de ter ficado com marcas de pólvora pelo rosto. Tive meu dia de Spinal Tap...-

Luiz Domingues - músico