SEGUIDORES

sábado, 28 de janeiro de 2012

JOÃO MARCOS DURSKI - AGRÔNOMO DO ANO....



Quando nos formamos "Engenheiros Agrônomos", saímos da faculdade achando que o mundo estará a nossos pés.
Estamos novos com todo o "gás"que a vida nos oferece.
Saímos pela vida a trabalhar, a aprender com agricultores experientes.
"Nos achamos"......somos o bicho!
Todas as manhãs, pegamos o carro e lá vamos nós, a mais um dia de trabalho, de aprendizado, de observações...de ver algo velho e novo. 
Mas , a maldita ganância, algo inerente ao ser humano, está  presente em nossas mentes. É algo inatingível.É um mal inerente à genética humana.
E assim, começamos a ser agrônomos, mas com o espírito voltado ao dinheiro. Não só os agrônomos, mas todos os profissionais de todas as profissões.
Felizes dos médicos, que pela ignorância do povo, "endeusam-se. e são "endeusados", pois o homem, chegou na lua, descobriu partículas milagrosas, evoluiu a ciência, fez milagres na cibernética, mas....infelizmente mal conhece seu próprio corpo, seu organismo.
Mas, o que tem a ver tudo isso com o João Marcos Durski, que auto-intitula-se "O Agrônomo do ano"?
Sempre fui "AGRÔNOMO", isto é, dei orientação técnica aos produtores rurais, sempre estudei agronomia nos finais de semana, sempre observei, analisei e diagnostiquei qualquer dúvida que houvesse a respeito de qualquer planta que eu visse.
Dediquei-me de corpo e alma à profissão que escolhi, mas sempre visando exercer agronomia, e não funções de gerenciamento, crescimento agrícola, expansão agrícola, ( que ora, é a maior poluidora do Brasil), acima das indústrias e outras..
Tenho tristeza em dizer que, sinto dó de meus colegas de profissão. Hoje, a grande maioria é submissa às multinacionais, às cooperativas, às revendas de insumos. E os agricultores? Na ânsia de obter lucros com as suas plantações, deixam-se conscientemente levar pelos argumentos falsos de vantagens e vantagens de "venenos"agrícolas. 
Elevo meus louvores à José Lutzemberger, que abdicou da profissão de agrônomo de "venenos" para ser o maior ecologista que o Brasil já teve.
Assim eu o sigo, admiro e tento chegar à seus pés...
Ser agrônomo não significa gerenciar grandes empresas, poluidoras, ser agrônomo não significa gerar lucros enormes à empresa, ser agrônomo significa estar em sintonia com Deus, à  terra, as plantas, e principalmente à dignidade e vida saudável que o homem deve ter.
Sendo assim, considerando que tento ser  parceiro da dignidade, parceiro do bom senso, intitulo-me sem medo de errar:
EU SOU O AGRÔNOMO DO ANO ! 
Pois em Deus eu vivo, me movo, e existo!
João Marcos Durski.
(um simples agrônomo)