SEGUIDORES

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

ROCK N' ROLL E SATANISMO POR MYRNA MOON



O Rock and Roll constantemente é relacionado a satanismo, magia negra e outros. Por motivos óbvios, diga-se de passagem, essa relação foi, e é estabelecida e alimentada por grupos religiosos que não se conformam com a existência concreta de um movimento que diminuiu muito a presença de jovens em celebrações e rituais dessas instituições. Momento em que a sinceridade se torna “pecado”, pois como é possível de divertir sem estar dentro da “cerquinha” mágica?. Levando-se em consideração que o movimento surgiu nos anos 50 e de cara já demonstrou a capacidade de “enfeitiçar” grande numero de pessoas, desde então vamos também encontrar seus “opositores”.
Será que realmente há uma força demoníaca que se faz presente em eventos e shows de rock?  Não seria talvez a sensação de Liberdade e mesmo de libertação inconsciente dos antigos paradigmas satânicos instituídos pela religião cristã, o que realmente motivou e moveu a juventude daquele inicio, e até hoje?
A meu ver a atitude assumida pelos “pioneiros” do rock foi muito mais pagã do que anticristã, visto que nunca vimos ou ouvimos falar de roqueiros de verdade, haverem em algum momento invadido igrejas, espancarem religiosos, depredarem locais de cultos e blasfemar contra religião (salvo raríssimas exceções, porque mané tem em todo lugar, rsrsrs) ou coisas do tipo. Mas é fácil é ver o contrário. Projetam suas neuroses, seus medos e culpas, para julgarem e condenarem a Arte, ao que acreditam ser do diabo (papo de gente sem talento). Se dependêssemos totalmente desses “caras”, não haveria  mais a Arte, mais nenhum monumento histórico, como tantas outras memórias que foram destruídas pela ignorância de fanáticos. Passaríamos o tempo todo trabalhando feito escravos e dando nosso dinheiro, que nunca excede nossas necessidades, para sustentar “os que rezam”. Hello? Já superamos isso uma vez. Está muito bem registrado  esse tipo de situação no passado e conhecemos desfecho.O que considero mais incrível de tudo, é que diversos nomes do rock e do blues cantavam e cantam ainda hoje,ritmos de blues e rock com letra gospel. Se for um ritmo amaldiçoado, por que vemos tantas bandas hoje em dia fazendo o tal som e com todos os recursos “satânicos” do rock? Rock prá Jesus, pode? Acho até possível, já que o cristianismo que conhecemos foi elaborado pelo atormentado apóstolo Paulo e não por Jesus.
                          Myrna Moon               
Qual seria a verdadeira motivação dessa perseguição?
Tenho um palpite. Essas “pessoas” diferenciadas (rsrs) quando vê um estádio lotado, qual a primeira coisa que lhes ocorre? Gente se libertando do medo do “castigo” e o que deve ser pior ainda, o tanto de “grana” que vai para a organização de tais eventos. Lógico que aqueles tiozinhos toscos sentem inveja, pois seus “ shows da fé” são muito “malas”,  e ao ver aquela multidão doando sua energia a um movimento que liberta o “deus” que tentaram manter na masmorra, provando por A+B que a verdadeira intenção é monopolizar o poder ao trancarem o Bem dentro de uma “casa” (assim pode ser vendido), e deixarem o Mal do lado de fora. Conclusão, quem está fora é condenado. Mas se resolver atrofiar seu cérebro e estiver disposto a pagar, tudo bem.Veja bem, não importa se mata, rouba, trai ou é corrupto, pode vir que você entra, e ainda recebe o direito de perseguir, julgar e condenar os outros. Se vai se salvar, ninguém garante.(aff)
Posso dar uma demonstração muito simples disso que digo. Temos em nossa TV aberta canais que se ocupam de divulgar as mensagens bíblicas. Outro dia reparei numa coisa. Um desses canais que tanto zelam pela “moral e bons costumes” da família, têm em sua programação um reality show que é a maior baixaria. Tem também outro programa chamado “Ídolos” (idolatria ainda é pecado, ou já fizeram alguma emenda?), apenas para citar dois exemplos simples. Nesses programas vemos de tudo. Podemos ver também, num outro momento, um programa que mostra adultério, nudez feminina entre tantas outras coisas consideradas por eles mesmos como mundanas e pecaminosas, e na seqüência vem o tal “homem” de Deus, que atende chamadas telefônicas em seu horário e cede espaço para outros tão hipócritas quanto eles exercitarem seus preconceitos.
O velho truque de dar o veneno de dia e o antídoto à noite.
O cristianismo é um velho conhecido na História. Suas invasões, seu desrespeito por outras doutrinas e por mulheres, a imposição de sua verdade pela força, e o que é pior, sua imensa vontade se usurpar o lugar de outras “tribos”, como a do rock, por exemplo e transformar mentes pensantes em gado, ovelhas, sei lá, qualquer coisa possível de ser controlada por uma cerca. Tudo o que faz parte hoje do cristianismo foi retirado a força de outras culturas, e ainda possuem o mau-hábito de “satanizar” tudo o que não podem dominar ou extinguir.
Se há ou não pactos “satânicos” feitos por algum artista, isso não significa que o Rock seja satanista, até porque vemos tantos “crentes” cheio de moral e nenhuma ética, dentro dos templos. O problema está sempre com os imbecis que sofrem de carência afetiva e intelectual.
Quem pode garantir com certeza que o Sr. Robert Johnson realmente fez um pacto com o “capeta” na suaCrossroad? Seria o “capeta” dos cristãos que o ensinou a tocar sua guitarra? Jimmi e Robert do Zeppelin teriam mesmo vendido suas almas? E Paul MC Cartney e Mick Jagger, venderam realmente as almas de Lenon e Brian Jones em troca da fama? Vejo muito mais religiosos cultuando o diabo através das palavras, do que nosso bom “velhinho” Ozzy Osbourne.
Se o Rock é filho do diabo penso que foi deserdado, pois como todo filho inteligente não se deixou dominar por uma “pai” idiota, e não se abaixou diante de suas ameaças mentirosas. Ao contrário surgiu no mundo, talvez vindo mesmo lá de “baixo”, para deixar sua profunda marca na sociedade e denunciar mentiras e enganos, até então, eternos.  O Rock de qual estou falando é aquele que não é de briga, mas sim de luta, de protesto. Luta pelo fim da fome na África, luta pela Paz mundial, luta contra a desigualdade, luta pela conscientização de que o poder está em nossas mãos e nós, o povo comum, muitas vezes entregamos esse poder nas mãos de “picaretas” , pois se torna muito cômodo  quando algo sai errado, jogar toda a “culpa” satânica por nossas más escolhas ao diabo.
Assim fica fácil manipular e escravizar. Ninguém realiza no mundo um mal que já não esteja em seu intimo, isso independe de fatores externos.
Quanto as drogas e a violência atribuídas ao movimento, tenho que dizer que estas são características da humanidade, pois a História está repleta de cenas sangrentas, inquisições, e a farta distribuição de um ópio que atrofia a capacidade de pensar e exime seus adeptos de responsabilidade de sua maldade. Para isso possuem um “mito” velho, ruim das pernas, chifrudo e muito mal amado, por sinal (rsrs), para assumir a autoria das mazelas provocadas pelas ações do homem, e isso tudo é bem mais antigo que o Rock.   
Desejo profundamente que todos adquiram essa consciência e prestigiem esse movimento que deu identidade e ideologia a jovens perdidos, excluídos e que não se calaram quando inconformados com a injustiça reinante, instituída por uma modo obsoleto e ultrapassado de vida. Um movimento que partiu velhas correntes, aprisionadoras de almas, e abriu os olhos do mundo com a afirmação de que podemos viver melhor se exercitarmos qualidades simples, das quais que todos somos munidos de nascença e que estão em nossos íntimos. Coisas do tipo solidariedade, espírito de irmandade, consciência política, tolerância e etc.
 Portanto, meus “irmãos”: Libertai-vos usando a receita que eles mesmos ensinaram. Queimem seus preconceitos, sua vaidade, seu egoísmo na fogueira do Rock, exorcize-se e liberte-se. Cresça e pegue nas mãos dos que estão chegando e mostre o caminho. Antes que algum destes “escolhidos” faça isso!
Rock and Roll não é religião, e sim uma filosofia de vida. Se ritual satânico fosse uma regra, o Rock estaria ferrado. Onde conseguiríamos “virgens” de dezoito anos para sacrifício? Imaginem quantas e em que circunstâncias a inquisição libertou do demônio?
O papo aqui é “Liberdade”. Ninguém nasce escravo por natureza e portanto, saiam das “construções” dialéticas da prisão psicológica e ajam de acordo com sua consciência. Eu recomendo pois se houver realmente algum tipo de culpa, desculpe, mas ela é só sua.