SEGUIDORES

quarta-feira, 27 de abril de 2011

POEMA DO ROCK 'N 'ROLL *****

Todo dia é dia de Rock,
nele solto o meu baixo grito,
verdade com jeito de bicho grilo
e a cabeça fora do lugar.
Um corpo ao meu se apega
no espaço de alguns passos infindos,
entre acordes lamentosos
e o peso da guitarra que não cessa,

que não cessa...
É pau de dar em doido
e só quem amanhece conhece
os bêbados no passeio público,
o sol que leve vem bailando,
refluxo da vida a desfilar.

Gustavo Felicíssimo
Na foto esse blogueiro quando iniciou os primeiros acordes